22°C 27°C
Santa Quitéria, CE
Publicidade

Desafios e perspectivas para o saneamento básico no Ceará até 2040

De acordo com o estudo do Trata Brasil, os benefícios entre 2023 e 2040 podem chegar a R$ 72,1 bilhões

02/12/2023 às 08h46
Por: Luís Davi Frota
Compartilhe:
Foto: Reprodução/ Opinião CE
Foto: Reprodução/ Opinião CE

Uma parcela significativa da população cearense enfrenta escassez de saneamento básico, revela levantamento do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). Menos da metade dos cearenses possui coleta e tratamento de esgoto. Contudo, com a promulgação da Lei do Marco Legal do Saneamento Básico (Lei Nº 14.026), a expectativa é de mudanças até 2040.

A legislação estabelece que os municípios cearenses têm até o início de 2040 para universalizar o saneamento. Os benefícios vão além da higiene, com o Instituto Trata Brasil apontando a possibilidade de um superávit de R$ 36,8 bilhões até esse ano. Vários projetos no Estado buscam viabilizar essa universalização.

De acordo com o estudo do Trata Brasil, os benefícios entre 2023 e 2040 podem chegar a R$ 72,1 bilhões. Os custos sociais nesse período devem somar aproximadamente R$ 35,2 bilhões. No entanto, a relação indica um superávit de R$ 36,8 bilhões, sugerindo ganhos sociais significativos.

O cenário do saneamento no Ceará apresenta desafios, mas a busca pela universalização representa uma oportunidade para transformações sociais e econômicas significativas no estado. A população aguarda melhorias concretas nas condições de saneamento básico para garantir qualidade de vida e impulsionar o desenvolvimento regional.

Publicidade
Publicidade
Publicidade