22°C 27°C
Santa Quitéria, CE
Publicidade

Homem fica cego de um olho após adormecer bêbado e de bruços.

O paciente procurou atendimento em um pronto-socorro depois de passar três dias com dores no olho e sem conseguir enxergar

10/02/2024 às 13h52
Por: Rita de Cássia
Compartilhe:
Foto: New England Journal of Medicine
Foto: New England Journal of Medicine

Na quinta-feira (8/2), um homem de 44 anos de Taiwan perdeu permanentemente a visão de um olho após dormir de bruços, após uma noite de bebedeira. Conforme informação do Metrópoles, o caso foi documentado no New England Journal of Medicine.

O paciente, não identificado pelos médicos, procurou um pronto-socorro em Puzi, Taiwan, após três dias de dores no olho e cegueira. Ele relatou que as dores começaram após tomar remédios para insônia, misturados com álcool, resultando em um desmaio de três horas em uma posição que pressionou o olho esquerdo.

No exame oftalmológico, a pupila não reagiu à luz, indicando oftalmoplegia, uma paralisia dos músculos oculares. Os médicos explicaram que a pressão no olho durante o sono de bruços causou a ruptura dos vasos sanguíneos, resultando em hemorragia e inchaço quando ele chegou ao pronto-socorro.

O diagnóstico revelou neuropatia óptica isquêmica, uma lesão decorrente da inadequada circulação sanguínea no nervo óptico. Essa condição é mais comum em pacientes com doenças que afetam a circulação, como hipertensão, colesterol alto, problemas cardíacos e diabetes.

A neuropatia óptica isquêmica, geralmente, é permanente, uma vez que o nervo óptico para de funcionar e morre. Mas os pacientes podem manter alguma visão periférica.

O paciente também foi diagnosticado com coroidopatia, uma doença que provoca o acúmulo de líquido na retina, área que captura a luz e a converte em imagens. A condição pode causar pontos cegos no centro da visão, além da distorção de objetos, que parecem menores ou mais distantes do que realmente são.

O taiwanês foi medicado com altas doses de esteroides para evitar que a pressão ocular piorasse. Após quatro meses, ele ainda estava cego do olho esquerdo.

Publicidade
Publicidade
Publicidade