21°C 32°C
Santa Quitéria, CE
Publicidade

Com enchente no RS, varejo teme desabastecimento de arroz e limita venda do produto no Ceará

O preço do arroz já subiu quase 5% no Ceará segundo especialista da Central de Abastecimento.

09/05/2024 às 13h01 Atualizada em 09/05/2024 às 20h03
Por: Josyvânia Monteiro Fonte: G1 CE
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Por conta das enchentes no Rio Grande do Sul, algumas redes de supermercado de Fortaleza restringiram, nesta quarta-feira (8), a compra de apenas cinco pacotes de arroz por pessoa física. O estado gaúcho é o que mais produz arroz no Brasil.

"Em virtude das intensas chuvas recentes que estão afetando o Rio Grande do Sul, importante região produtora de arroz, informamos que poderá haver impacto no abastecimento deste produto nos mercados. Como medida preventiva para garantir o acesso a todos, está limitada a quantidade de arroz a 5 unidades por CPF, por tempo indeterminado", informa o comunicado na prateleira do Atacadão Lag, no Mondubim. A restrição, no entanto, vale apenas para uma marca.

Regiões centro-oeste e sudeste, por exemplo, começaram a restringir a oferta do produto para conter os estoques e conseguir continuar abastecendo a população.

Segundo Odálio Girão, analista de mercado da Ceasa, o preço do arroz já subiu quase 5% desde o início das chuvas tempestuosas que afetaram a produção no Rio Grande do Sul.

O presidente da Associação Cearense de Supermercados (Acesu), Nidovando Pinheiro, afirmou que desconhece a limitação de venda do produto no Atacadão Lag e acredita que o abastecimento está normal no estado, conduto, o arroz já vinha com uma tendência de alta no preço.

"Por conta da tragédia ocorrida no Rio Grande do Sul, teremos um impacto muito grande em cima dos grãos. Feijão, arroz, soja, milho, todos eles terão impacto muito forte no mercado. Mas, no presente momento, o impacto já acontecido é para o arroz. Já teve um acréscimo no preço de 4,35%. Ele saiu de R$ 5,75 para R$ 6 o quilo no estado. Isso em consequência da perca de safra produtores dos municípios atingidos."

Publicidade
Publicidade
Publicidade