20°C 33°C
Santa Quitéria, CE
Publicidade

Brasileiros terão Bolsa Família com valor reduzido em junho; saiba o motivo e se você está na lista

Medida tem gerado polêmica entre os beneficiários do programa social

18/06/2024 às 14h12
Por: Josyvânia Monteiro Fonte: GCmais
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Quase 3 milhões de brasileiros de todas as regiões do país terão o valor do Bolsa Família reduzido neste mês de junho. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (17) pelo Ministério do Desenvolvimento Social, Família e Combate à Fome.

Esses brasileiros estão incluídos na chamada Regra de Proteção, que determina cortes nos valores do Bolsa Família para quem registra um aumento significativo na renda per capita. Em junho, a média de pagamentos para aqueles que estão na Regra de Proteção é de R$ 370,54, enquanto para o público geral a média é de R$ 683,75.

Pela Regra de Proteção, famílias que têm um aumento significativo na renda continuam recebendo o Bolsa Família, mas com um valor reduzido. Em alguns casos, o desconto pode chegar a 50%, ou seja, um beneficiário que antes recebia R$ 600, passa a receber R$ 300.

A medida tem gerado polêmica entre os beneficiários do programa social. Muitos têm utilizado as redes sociais para afirmar que não tiveram aumento de renda e, mesmo assim, sofreram cortes nos pagamentos.

O Ministério do Desenvolvimento Social, Família e Combate à Fome defende a medida, afirmando que ela é benéfica para os trabalhadores, pois lhes permite continuar no programa mesmo após aumentos de renda.

Pelas regras gerais do Bolsa Família, há três ações possíveis quando uma família tem um aumento na renda per capita:

1. Quando a renda é elevada para um valor menor do que R$ 218

Se a renda per capita da família sobe, mas fica abaixo de R$ 218, nada muda. O valor do Bolsa Família não é reduzido e a família continua recebendo normalmente.

2. Quando a renda é elevada para algo entre R$ 219 e R$ 660

Neste caso, a família entra na Regra de Proteção e continua recebendo o Bolsa Família de forma reduzida por até dois anos. Se a renda voltar a cair, o valor do benefício retorna ao patamar normal.

3. Quando a renda é elevada para mais de R$ 660

Se a renda per capita sobe para mais de R$ 660, a família é excluída do programa. O Governo Federal considera que essa família não precisa mais do benefício e a vaga é destinada a outro usuário que esteja em maior necessidade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade