20°C 33°C
Santa Quitéria, CE
Publicidade

Procurador é preso por matar músico atropelado enquanto dirigia embriagado, no Ceará

Vítima era baixista e integrante da banda de forró "Os Januários". Um sobrevivente teve dois dedos decepados.

11/07/2024 às 14h18
Por: Josyvânia Monteiro Fonte: G1 CE
Compartilhe:
Músico Antônio Abelardo Nogueira Xavier, de 54 anos, baixista da banda de forró "Os Januários". - Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal
Músico Antônio Abelardo Nogueira Xavier, de 54 anos, baixista da banda de forró "Os Januários". - Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

Um procurador da cidade de Russas foi preso por suspeita de matar um músico atropelado enquanto dirigia embriagado na Avenida Juscelino Kubitschek, no Bairro Passaré, em Fortaleza, no último domingo (7), por volta das 2 horas.

Segundo o Auto de Prisão em Flagrante, a vítima Antônio Abelardo Nogueira Xavier, de 54 anos, estava trafegando em uma motocicleta na companhia de outro homem quando o veículo foi atingido pelo carro do procurador José Nilson Nogueira Pereira, de 66 anos.

Com o impacto, Antônio Abelardo morreu no local e a pessoa que estava com ele teve dois dedos da mão direita decepados. O músico era baixista e integrante da banda de forró "Os Januários".

Ainda segundo o documento, após o acidente José Nilson fugiu do local, não atendeu a ordem de parada dos policiais e somente parou quando o motor do carro esquentou e ele não conseguiu prosseguir. Durante a abordagem, o procurador passou pelo exame do etilômetro, que teve como resultado 0,78mg/L, comprovando a embriaguez.

O suspeito foi levado ao 13º Distrito Policial, no Bairro Cidade dos Funcionários, onde foi autuado em flagrante por homicídio culposo no trânsito, qualificada pela embriaguez, lesão gravíssima, bem como omissão de socorro das vítimas.

Horas após a prisão, o procurador passou por uma Audiência de Custódia, ocasião em que teve a prisão preventiva decretada.

Contudo, o juiz de Direito concedeu ao suspeito a prisão domiciliar, após José Nilson alegar que é acometido de problemas cardíacos, de próstata, além de já ter passado por uma cirurgia e esse ser o primeiro acidente que se envolveu em 47 anos de habilitado.

"Em audiência, o autuado declarou que é acometido de cardiopatia, apresentando a incisão cirúrgica de larga extensão (laparatomia), declarando fazer uso de medicamentos contínuos, declarando também ter enfermidade de próstata, além de ser habilitado desde 1977, sendo o primeiro envolvimento emacidente de trânsito, razão pela qual o Ministério Público requereu a conversão da prisão preventiva em domiciliar, no que foi seguido pela defesa, pelo que foi deferida por esse Juízo", diz um trecho da decisão.

O procurador deverá ficar em prisão domiliciliar e usar tornozeleira aletrônica pelo prazo de 180 dias.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade