22°C 27°C
Santa Quitéria, CE
Publicidade

Ausências de Luizianne, Sarto e Guimarães no evento de Lula no Ceará, dizem muito sobre a eleição de Fortaleza em 2024

Confira a coluna do jornalista Reginaldo Silva

20/01/2024 às 19h17
Por: Reginaldo Silva
Compartilhe:
Foto: Ricardo Stuckert/PR
Foto: Ricardo Stuckert/PR

A Cesar o que é de Cesar. Guimarães faltou ao evento com a presença do presidente Lula no Ceará por questões de saúde. Ele justificou sua ausência, logo cedo, afirmando sentir uma forte indisposição, por conta de uma infecção intestinal. Já Luizianne Lins e o prefeito de Fortaleza José Sarto faltaram mesmo por questões políticas.

Guimarães já havia alertado que a visita do presidente Lula ao Ceará seria estritamente de cunho institucional e não seria tratado questões político-eleitorais em relação ao pleito de 2024. Mas, as mensagens subliminares ficaram mais evidentes do que deviam.

O prefeito Sarto, certamente, não compareceu ao evento por questões políticas. Depois do rompimento da aliança entre PT e PDT, no ano passado, os partidos seguem caminhos diferentes e nas eleições deste ano, devem travar um embate direto pela prefeitura de Fortaleza.

Nas redes sociais, Sarto não fez menções ao evento do lançamento da pedra fundamental do campus do ITA na capital cearense. Sarto já entendeu que essas cortesias não rendem resultado em ano eleitoral, daqui para frente, é cada um no seu quadrado.

A ausência mais emblemática no evento foi de Luizianne Lins, pré-candidata a prefeita de Fortaleza pelo PT, que não compareceu a uma solenidade com a presença do líder maior de seu partido. De acordo com a assessoria da parlamentar, em evento anterior de Lula no Ceará, ela teria sido impedida de subir ao palco principal onde estava o presidente. “A deputada não irá se submeter a isto novamente”, pontua a assessoria de Luizianne, deixando transparecer que existe tratamento diferenciado com a parlamentar, quando compete ao Ministério da Educação a organização do evento.

Além da ausência de Luizianne, também ficou visível a presença de Evandro Leitão, principal concorrente da deputada federal na corrida pela indicação da legenda para concorrer a prefeitura de Fortaleza, logo na primeira fila onde estava o presidente Lula. A preferência pelo nome de Evandro Leitão, por parte do ministro da Educação, Camilo Santana, tem ficado cada vez mais evidente. Luizianne, por sua vez, ainda aposta na gratidão de Elmano, enquanto este, se refere a Camilo como “meu líder”.

A ausência de Guimarães é justificável. A de Sarto, deixa a mensagem que PT e PDT já não pertencem ao mesmo mundo. A de Luizianne, expõe um sentimento de rejeição ao nome dela de uma determinada ala petista. Logo, Luizianne que enche o peito e diz que visitou Lula várias vezes em Curitiba, não ir a um evento do presidente, no seu estado, na capital que pretende concorrer como prefeita, algo não encaixa.

O PT conhece bem os caminhos do preterimento do nome de alguém, já vivenciou um episódio envolvendo a então governadora Izolda Cela na eleição passada, que levou ao rompimento da aliança PT- PDT. Os desdobramentos podem ser imprevisíveis.

No processo de escolha do nome do PT, à prefeitura de Fortaleza, vai ser preciso muita perícia, transparência, honestidade e habilidade para evitar rachas, isto ficou evidente depois do evento de Lula no Ceará, os sentimentos ficaram mais aflorados. Parafraseando o imperador Júlio Cesar, em relação a este processo de escolha do candidato ou candidata do PT em Fortaleza: “não basta ser honesto, é preciso parecer honesto”.

Reginaldo Silva
Sobre o blog/coluna
Reginaldo Silva é professor, radialista e jornalista.
Ver notícias
Publicidade
Publicidade
Publicidade